Desaprender e reaprender é essencial nos tempos atuais

“Os analfabetos do século 21 não serão aqueles que não sabem ler e escrever, mas aqueles que não podem aprender, desaprender e reaprender”. Em 1970, o sociólogo e futurólogo Alvin Toffler já fazia previsões realistas em seu livro Future Shock. Cinquenta anos mais tarde, esse mantra continua atual e necessário nas organizações. Afinal, com a transformação digital que estamos vivenciando, desaprender e reaprender se tornou uma soft skill muito desejada pelas organizações. Quer saber como aprender a desaprender e se adaptar às novas exigências do mercado? Continue lendo o artigo. O que significa o conceito de desaprender e reaprender? Desaprender é abandonar aquilo que você já sabe, descartar algo aprendido, velhos conceitos e informações desatualizadas e se abrir para o novo. Reaprender é aprender algo novamente, mas de um jeito novo. É sobre desconstruir ideias e conceitos que foram construídos ao longo do tempo na sua cabeça, e que moldam a sua forma de agir e reagir às situações. O que não é desaprender e reaprender? Desaprender não se trata de esquecer tudo aquilo que sabemos, mas desapegar de modelos mentais inconscientes, que nos induzem a fazer as coisas sempre do mesmo jeito, questionar se aquilo ainda faz sentido nos tempos atuais. Desaprender e reaprender na prática Edward Hess, em seu livro Hyper Learning,atenta para o fato de que “toda aprendizagem acontece por meio de reflexões profundas ou em conversas com os outros”. A partir destas interações, é possível ser confrontado com opiniões diferentes e, assim, reconfigurar nossos modelos mentais para pensar sobre as coisas sob um outro olhar reconfigurado ou pelo ponto de vista do outro. Vamos usar um exemplo prático para deixar o conceito mais palpável? Se você cresceu com a ideia de que o café da manhã é a refeição mais importante do dia, por exemplo, quando aprende sobre o jejum intermitente, começa a questionar tudo o que sempre acreditou. É como se começasse a analisar as coisas de um outro ponto de vista: “Será que isso continua fazendo sentido para mim? Será que eu sempre considerei o café da manhã a refeição mais importante do dia ou isso é uma crença adquirida no meio familiar?” Desaprender e reaprender é sobre isso. Leia mais sobre: Empatia digital Desaprender para aprender: um desafio para as organizações Para as organizações que praticam a diversidade e a inclusão, o conceito de desaprender e reaprender pode ser um desafio a mais, considerando o mix geracional e as diferentes culturas existentes. Afinal, como as gerações mais antigas vão lidar com a velocidade das transformações e entender que aquilo que aprenderam há pouco tempo já caiu em desuso? Ao mesmo tempo, por que desaprender algo pelo qual você trabalhou duro para aprender e que está funcionando muito bem? A resposta é simples. O cérebro tem uma capacidade finita e para aprender algo novo é preciso abrir espaço. E isso só é possível descartando informações que não fazem mais sentido. Portanto, é preciso desaprender para aprender! Pense em um software que precisa de atualizações constantes. Assim deve ser a nossa relação com o conceito de desaprender e reaprender. Desaprender e reaprender: por que é tão importante? Por que aprender, desaprender e reaprender deve ser uma constante? Na era digital, não é mais suficiente dizer que aquilo que você sabe permanecerá atual pelos próximos 20 anos. Por isso, é preciso reavaliar continuamente as habilidades exigidas pelo mercado para garantir que elas permaneçam atualizadas. Imagine que você está acostumada a usar o Gmail. Com o tempo, se acostuma com o layout e a interface da ferramenta, e isso se torna automático. Então, a ferramenta passa por uma atualização e você pensa: “Desaprendi”. A partir daí, você precisa desaprender a forma como usava a ferramenta e reaprender a nova forma para se manter atualizado. Leia mais sobre: Segurança psicológica ESG Learning strategy O ciclo: aprender, desaprender e reaprender Ao contrário do aprendizado cumulativo, em que vamos empilhando conhecimentos, o ciclo de aprender, desaprender e reaprender envolve pensamento crítico, porque pede que você avalie e analise o que, de fato, precisa ser reciclado. Veja abaixo, algumas dicas de como aplicar o conceito de aprender, desaprender e reaprender: Esteja aberto ao novo; Evite repetir padrões de pensamento e comportamento; Experimente coisas novas; Tente fazer as coisas de um jeito diferente; Saia do piloto automático; Aprenda com os outros. Agora que você já sabe como aprender a desaprender, veja como você pode ajudar o seu time neste processo. Ajudando a sua equipe a desaprender e reaprender Colocar o ciclo de aprender, desaprender e reaprender em prática pode ser difícil, porque nem todos estão abertos à mudança. Mas, se você aplicar estas duas dicas, pode ser mais fácil gerar uma transformação na sua empresa: Explique o "porquê" Se você chegar para a sua equipe e comunicar: “Esqueça tudo o que você acha que sabe sobre esse assunto”, com certeza, não será levado a sério. Por outro lado, se você comunicar como funciona o ciclo de aprender, desaprender e reaprender e, principalmente, os benefícios de aplicá-lo, as suas chances de ter sucesso serão maiores. Além disso, quando você deixa claro os objetivos, a resistência à mudança é menor. Afinal, quanto menos informações oficiais, mais especulação. Por isso, comunicar claramente como funcionará o processo na prática é essencial para garantir a aceitação do ciclo. Forneça os recursos necessários Assim que o ciclo de desaprender e reaprender for aceito pela equipe, é preciso garantir os recursos apropriados para facilitar esse aprendizado. Isso significa oferecer formas de aprendizado inovadoras, acesso às novas tecnologias e experiências transformadoras que facilitem o processo de desaprender e reaprender. Se você quer implementar este conceito na sua empresa, mas não sabe como fazer, conte com a expertise da Escola do Caos! Escola do Caos Somos uma escola de liderança e inovação, com uma proposta simples e ousada: estimular pessoas e empresas a provocarem rupturas, reinventar seus mercados e construírem o futuro hoje, a partir do CAOS ressignificado. O nosso método de aprendizagem é baseado em situações caóticas do mundo corporativo e se baseia em três pilares: Re-imagine: provocações pouco usuais do dia a dia e simulações de situações ruins, como a perda de um cliente, por exemplo; Re-invent: se cada situação apresentada na etapa anterior fosse real? Quais seriam as ações? Nessa etapa, a base para a discussão de soluções é a ideação e a colaboração; Re-learn: quais aprendizados esse processo nos traz? Quais competências preciso desenvolver para lidar com situações como esta? Há alguma soft skill ideal para se preparar para isso? A Escola do Caos é especializada em processos de mudança organizacional e tem uma solução perfeita para você implementar o ciclo de desaprender e reaprender na sua empresa: Conheça o Programa Big Bang Não é fácil inovar. Muita gente imagina que a inovação surge de um momento mágico de inspiração, de um flash criativo. Mas esperar este momento acontecer pode ser o grande entrave para que a inovação aconteça. Inovar é angustiante, cansativo e requer muito foco e resiliência para errar e recomeçar. A jornada Big Bang é um mergulho no que é inovação. Depois de passar pelos três eixos de Big Bang, insight, behavior e know how, você vai estar atento às suas ideias potenciais de inovação, e acima de tudo vai saber que não tem mágica, não tem dom divino. É muita técnica, suor e sangue nos olhos! Quer saber mais sobre o nosso programa? Entre em contato com a nossa equipe e leve a inovação para a sua empresa também!

“Os analfabetos do século 21 não serão aqueles que não sabem ler e escrever, mas aqueles que não podem aprender, desaprender e reaprender”. 

Em 1970, o sociólogo e futurólogo Alvin Toffler já fazia previsões realistas em seu livro Future Shock. Cinquenta anos mais tarde, esse mantra continua atual e necessário nas organizações. 

Afinal, com a transformação digital que estamos vivenciando, desaprender e reaprender se tornou uma soft skill muito desejada pelas organizações.

Quer saber como aprender a desaprender e se adaptar às novas exigências do mercado? Continue lendo o artigo.

O que significa o conceito de desaprender e reaprender?

Desaprender é abandonar aquilo que você já sabe, descartar algo aprendido, velhos conceitos e informações desatualizadas e se abrir para o novo. 

Reaprender é aprender algo novamente, mas de um jeito novo. É sobre desconstruir ideias e conceitos que foram construídos ao longo do tempo na sua cabeça, e que moldam a sua forma de agir e reagir às situações.

O que não é desaprender e reaprender?

Desaprender não se trata de esquecer tudo aquilo que sabemos, mas desapegar de modelos mentais inconscientes, que nos induzem a fazer as coisas sempre do mesmo jeito,  questionar se aquilo ainda faz sentido nos tempos atuais.

Baixe agora a sua Revista Caótica e leia muitos outros conteúdos! Garanta a sua terceira edição agora mesmo.

Desaprender e reaprender na prática

Edward Hess, em seu livro Hyper Learning, atenta para o fato de que “toda aprendizagem acontece por meio de reflexões profundas ou em conversas com os outros”. 

A partir destas interações, é possível ser confrontado com opiniões diferentes e, assim, reconfigurar nossos modelos mentais para pensar sobre as coisas sob um outro olhar reconfigurado ou pelo ponto de vista do outro.

Vamos usar um exemplo prático para deixar o conceito mais palpável?

Se você cresceu com a ideia de que o café da manhã é a refeição mais importante do dia, por exemplo, quando aprende sobre o jejum intermitente, começa a questionar tudo o que sempre acreditou.

É como se começasse a analisar as coisas de um outro ponto de vista: “Será que isso continua fazendo sentido para mim? Será que eu sempre considerei o café da manhã a refeição mais importante do dia ou isso é uma crença adquirida no meio familiar?”

Desaprender e reaprender é sobre isso. 

Leia mais sobre: 

Desaprender para aprender: um desafio para as organizações 

Para as organizações que praticam a diversidade e a inclusão, o conceito de desaprender e reaprender pode ser um desafio a mais, considerando o mix geracional e as diferentes culturas existentes.

Afinal, como as gerações mais antigas vão lidar com a velocidade das transformações e entender que aquilo que aprenderam há pouco tempo já caiu em desuso?

Ao mesmo tempo, por que desaprender algo pelo qual você trabalhou duro para aprender e que está funcionando muito bem?

A resposta é simples. O cérebro tem uma capacidade finita e para aprender algo novo é preciso abrir espaço. E isso só é possível descartando informações que não fazem mais sentido.

Portanto, é preciso desaprender para aprender!

Pense em um software que precisa de atualizações constantes. Assim deve ser a nossa relação com o conceito de desaprender e reaprender.

Siga a gente no Spotify! Toda segunda-feira um episódio inédito

Desaprender e reaprender: por que é tão importante?

Por que aprender, desaprender e reaprender deve ser uma constante?

Na era digital, não é mais suficiente dizer que aquilo que você sabe permanecerá atual pelos próximos 20 anos. 

Por isso, é preciso reavaliar continuamente as habilidades exigidas pelo mercado para garantir que elas permaneçam atualizadas.

Imagine que você está acostumada a usar o Gmail. Com o tempo, se acostuma com o layout e a interface da ferramenta, e isso se torna automático.

Então, a ferramenta passa por uma atualização e você pensa: “Desaprendi”. 

A partir daí, você precisa desaprender a forma como usava a ferramenta e reaprender a nova forma para se manter atualizado. 

Leia mais sobre:

O ciclo: aprender, desaprender e reaprender 

Ao contrário do aprendizado cumulativo, em que vamos empilhando conhecimentos, o ciclo de aprender, desaprender e reaprender envolve pensamento crítico, porque pede que você avalie e analise o que, de fato, precisa ser reciclado.

Veja abaixo, algumas dicas de como aplicar o conceito de aprender, desaprender e reaprender:

  • Esteja aberto ao novo;
  • Evite repetir padrões de pensamento e comportamento;
  • Experimente coisas novas;
  • Tente fazer as coisas de um jeito diferente;
  • Saia do piloto automático;
  • Aprenda com os outros.

Agora que você já sabe como aprender a desaprender, veja como você pode ajudar o seu time neste processo.

Ajudando a sua equipe a desaprender e reaprender 

Colocar o ciclo de aprender, desaprender e reaprender em prática pode ser difícil, porque nem todos estão abertos à mudança. 

Mas, se você aplicar estas duas dicas, pode ser mais fácil gerar uma transformação na sua empresa:

Explique o “porquê”

Se você chegar para a sua equipe e comunicar: “Esqueça tudo o que você acha que sabe sobre esse assunto”, com certeza, não será levado a sério.

Por outro lado, se você comunicar como funciona o ciclo de aprender, desaprender  e reaprender e, principalmente, os benefícios de aplicá-lo, as suas chances de ter sucesso serão maiores.  

Além disso, quando você deixa claro os objetivos, a resistência à mudança é menor. Afinal, quanto menos informações oficiais, mais especulação. 

Por isso, comunicar claramente como funcionará o processo na prática é essencial para garantir a aceitação do ciclo.

Forneça os recursos necessários

Assim que o ciclo de desaprender e reaprender for aceito pela equipe, é preciso garantir os recursos apropriados para facilitar esse aprendizado. 

Isso significa oferecer formas de aprendizado inovadoras, acesso às novas tecnologias e experiências transformadoras que facilitem o processo de desaprender e reaprender.

Se você quer implementar este conceito na sua empresa, mas não sabe como fazer, conte com a expertise da Escola do Caos!

Escola do Caos

 

Somos uma escola de liderança e inovação, com uma proposta simples e ousada: estimular pessoas e empresas a provocarem rupturas, reinventar seus mercados e construírem o futuro hoje, a partir do CAOS ressignificado.

O nosso método de aprendizagem é baseado em situações caóticas do mundo corporativo e se baseia em três pilares:

  1. Re-imagine: provocações pouco usuais do dia a dia e simulações de situações ruins, como a  perda de um cliente, por exemplo;
  2. Re-invent: se cada situação apresentada na etapa anterior fosse real? Quais seriam as ações? Nessa etapa, a base para a discussão de soluções é a ideação e a colaboração;
  3. Re-learn: quais aprendizados esse processo nos traz? Quais competências preciso desenvolver para lidar com situações como esta? Há alguma soft skill ideal para se preparar para isso?

A Escola do Caos é especializada em processos de mudança organizacional e tem uma solução perfeita para você implementar o ciclo de desaprender e reaprender na sua empresa:

Conheça o Programa Big Bang

Não é fácil inovar. Muita gente imagina que a inovação surge de um momento mágico de inspiração, de um flash criativo. 

Mas esperar este momento acontecer pode ser o grande entrave para que a inovação aconteça.

Inovar é angustiante, cansativo e requer muito foco e resiliência para errar e recomeçar. A jornada Big Bang é um mergulho no que é inovação. 

Depois de passar pelos três eixos de Big Bang, insight, behavior e know how, você vai estar atento às suas ideias potenciais de inovação, e acima de tudo vai saber que não tem mágica, não tem dom divino. É muita técnica, suor e sangue nos olhos!

Quer saber mais sobre o nosso programa? Entre em contato com a nossa equipe e leve a inovação para a sua empresa também!

Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter